quinta-feira, 26 de junho de 2008

Começo...

Há muito tempo que não tenho um blog e depois de relembrar algumas coisas, resolvi voltar a ter... o fiz pra mim, mas quem quiser compartilhar, seja bem vindo.
Para começar escrevi um texto, mas vou postá-lo numa próxima vez... antes vou colocar um email que um amigo enviou certa vez (desculpe por copiá-lo) e que me trouxe lembranças maravilhosas... com elas vieram as lágrimas...
"Esse Carnaval foi maravilhoso, foi algo completamente diferente de tudo que já vivi, porque, apesar de ter ido pouca gente, foi alguém que nós amamos muito, uma menina que teve a coragem de conviver com 3 caras (eu, Baraúna e Lê) e se dispôs a enfrentar qualquer situação adversa, pelo menos para ela, como acender um fósforo (ahahahah). Ela marcou muito nossa viagem, foi a "princesa" das nossas vidas por 5 dias (da minha por 7) e ainda continua sendo, só que antes com mais intensidade por causa da proximidade física. Thelma, eu descobri de onde as pessoas tiram aquela frase "você não existe!" quando querem elogiar alguém, sabia? Algo que não existe tem beleza infinita, tem sua chama acesa para todo o sempre, seu perfume fragrante para o resto dos dias dos mortais. SIMPLESMENTE PORQUE NÃO EXISTE. O que existe pode ser classificado, enquadrado em alguma categoria e assim dito se é belo ou não, considerando aqui não só os termos de beleza. Agora, Thé, eu não sei mais se você existe, sexta à noite passava pelo corredor de casa, indo para a porta do meu quarto, quando me deparo com o perfume dos seus cabelos! "Caramba", pensei... como durou, ele deve ter ficado no ar por muito tempo mesmo.
Esse era o mais importante que queria dizer a vocês, poconautas, que descobri a razão do ditado "você não existe", e a descobri numa noite estrelada do nosso clube. A Thelma, tomei-a como exemplo, perdoe-me, princesa, se de alguma forma a ofendi, mas não achei ninguém mais apropriado que você para esse propósito. Se você está vermelha, relaxa que passa! Faltou muita gente, senti a falta de muitos, mas sei que em breve, de um jeito ou de outro, estaremos juntos. "...e, quando você abrir os olhos de novo, já estará lá.""

(JPSS, 09/03/03)

Desculpe-me, querido, por reproduzir um texto seu, mas acho que não será a única vez, afinal você é o nosso poeta! Você já escreveu textos mais bonitos, mas escolhi esse, porque foi a última vez que fui pra São Gotardo e a única vez que fui pra São José. Você citou o Bara e o Lê, mas por lá também vimos o Dengue e a Ká... que saudade... muitos anos se passaram, mas eu ainda os amo com a mesma intensidade. Nos falamos uns dias atrás e ainda espero encontrá-los.

Beijos de uma eterna poconauta...

PS: quanto ao fósforo... eu já aprendi!! =]

Um comentário:

sa_zanotta disse...

Oi maninha!!!
Não sabia que você tinha feito um blog novamente... acabei de descobrir!

Quanto ao texto, eu não sei se conheço esse amigo seu... mas deu para perceber o quanto você é importante para ele... (claro que para mim também né!!!).

Eu sei que você sabe... mas só para reforçar, conte comigo hoje e sempre!!!

Te amo maninha!!!

Beijos...